Ervilha

Pesquisa recente divulgada pela Future Market Insights destaca que o Brasil é responsável por mais de 23% do consumo de proteína de ervilha, na América Latina. Com o aumento na produção e consumo de produtos Plant Based, a tendência é que o volume aumente ainda mais.

Para quem ainda não conhece a diversidade de opções e alto teor de proteínas, é importante saber que a ervilha conquistou um espaço importante, como alternativa para a proteína animal.

Com esse entendimento, é importante esclarecer que o mercado global do produto deve aumentar 12,9% nos próximos anos, impulsionado pelo valor mais baixo, benefícios a saúde e crescimento dos consumidores veganos.

Sendo assim, para que você conheça mais sobre os benefícios da ervilha, preparamos um conteúdo com informações relevantes.

img ervilhas cisbra
img2 ervilhas cisbra

O que é ervilha?

A ervilha é chamada de “ouro verde” no setor alimentício pelas opções de preparo, que além de saborosas são altamente nutritivas.

A ervilha é consumida há milhares de anos pela humanidade, sendo mencionada em civilizações antigas do Egito, Grécia e Roma. Assim, nos primórdios da sociedade o grão já era cultivado para alimentação humana e de criações, os grãos consumidos por pessoas e a forragem pelos animais.

Para se ter uma ideia do teor nutritivo, a ervilha verde conta com mais cálcio e vitaminas do que o feijão. Entre as substâncias encontradas estão: vitaminas A, B, C, cobre, cálcio, fósforo, ferro e potássio. Dessa maneira, o alimento é naturalmente saudável para o consumo humano, ajudando a prevenir a hipertensão arterial e a insuficiência renal. Em relação às características, a leguminosa apresenta uma vagem alongada, fibrosa, de cor verde clara e cerca de 10 centímetros de comprimento. As espécies mais consumidas são a ervilha-torta e a ervilha-de-debulhar.

Farinha de ervilha

Um dos usos mais populares é o setor de panificação, para produção de pães, bolos, tortas e biscoitos. Contudo, também oferece resultados importantes na formulação de suplementos, com o isolamento da proteína da ervilha, já que ajuda no ganho de massa magra.

Com tantos benefícios, o produto retomou ao ranking dos alimentos funcionais, por atender as necessidades e preferências de indivíduos celíacos, vegetarianos e veganos.

Desse modo, a farinha de ervilha é uma das opções mais eficientes, tanto no setor de panificação quanto na indústria de alimentos Plant Based. Outra sugestão é o consumo in natura, ajudando no tratamento de doenças de trato digestivo como úlceras e pâncreas.

Informação Nutricional

Porções por embalagem:416 (25 Kg) e 8 (500g)
Porção: 60g (1/2 x´ícara)
 100g% VD (*)60g% VD (**)
Valor Energético261 kcal13%157 Kcal8%
Carboidratos45g15%27g9%
Açúcares Totais5,9g3,6g
Açúcares Adicionados0g0%0g0%
Proteínas18g36%11g22%
Gorduras Totais1,0g2%0,6g1%
Gorduras Saturadas0g0%0g0%
Gorduras Trans0g0%0g0%
Fibra Alimentar19g76%11g44%
Sódio12mg1%7,2mg0%
*”Percentual de valores diários fornecidos por 100g” ** “Percentual de valores diários fornecidos pela porção”
img2 ervilha cisbra
img3 ervilhas cisbra

Ervilha em grãos

A ervilha em grãos, frescos ou secos também é uma fonte importante de nutrientes. Com essa matéria-prima é possível elaborar: sopas, caldos com carnes, refogados, purês e hamburgueres, para citar apenas algumas opções. Além disso, a opção seca, pode ser armazenada e guardada por mais tempo.

Assim como a farinha, os grãos são ricos em sais minerais, vitaminas A, C e do complexo B. No preparo de pratos, são usadas como ingredientes em ensopados, cozidos, saladas e aperitivos. Já na indústria de panificação é necessário que sejam processadas na forma de farinha.

Informação Nutricional

Porções por embalagem: 416 (25 Kg)
Porção: 60g (1/2 x´ícara)
 100g% VD (*)60g% VD (**)
Valor Energético282 kcal14%170 Kcal9%
Carboidratos48g16%29g10%
Açúcares Totais6,4g3,8g
Açúcares Adicionados0g0%0g0%
Proteínas20g40%12g24%
Gorduras Totais1,1g2%0,7g1%
Gorduras Saturadas0,2g1%0,1g1%
Gorduras Trans0g0%0g0%
Fibra Alimentar20g80%12g48%
Sódio12mg1%7,2mg0%
*”Percentual de valores diários fornecidos por 100g” ** “Percentual de valores diários fornecidos pela porção”
CONTÉM GLÚTEN
Ingredientes: Ervilha Grãos.
ALÉRGICOS: PODE CONTER AVEIA, CENTEIO, CEVADA, TRIGO, TRITICALE E SOJA.
OBSERVAÇÃO: A ERVILHA ORIGINALMENTE NÃO CONTÉM GLÚTEN, MAS É PROCESSADA EM AMBIENTE DE PRODUTOS COM GLÚTEN.

Quais os benefícios da ervilha?

É importante esclarecer que a ervilha é um dos melhores alimentos para serem incluídos na dieta alimentar, pois, a alta concentração de proteínas e ferro, substituem a proteína animal. O grão é encontrado em várias versões: frescos e congelados, secos ou enlatados. Contudo, é melhor optar pelos dois primeiros tipos, por não conterem adição de conservantes ou sódio.

Com esse entendimento, vamos destacar alguns benefícios da ervilha para a saúde humana, confira:

Previne anemia ferropriva:

Essa doença é causada pela deficiência de ferro no organismo, reduzindo a produção de glóbulos vermelhos na corrente sanguínea. Portanto, para quem é anêmico ou apresenta propensão, a ervilha é uma ótima fonte de ferro (6%).

Fortalece o sistema imunológico:

A leguminosa é rica em vitamina C, aumentando a imunidade do organismo. O alimento é tão substancioso que até os brotos podem ser consumidos, por contarem com um antioxidante que pode inibir a presença da bactéria que causa úlcera e câncer no estômago.

Fonte de proteína vegetal:

Um dos principais diferenciais da ervilha em relação a outros vegetais é o alto teor de proteína. O percentual chega a 8% dos valores de referência em uma dieta com 2 mil calorias. Além disso, é o produto que melhor substitui a proteína animal, para indivíduos com dietas de baixo ou zero consumo de carne, como os flexitarianos, vegetarianos e veganos.

Cuidados com os olhos:

As ervilhas são ótimas para a saúde dos olhos, pois, contêm um pigmento conhecido por reduzir o risco de catarata, degeneração macular ou perda da visão, na fase idosa.

img4 ervilhas cisbra (1)

Proteína de ervilha

A proteína da ervilha é isolada do grão e transformada em pó. Desse modo, pode ser comercializada como suplemento alimentar, auxiliando na formação dos músculos e ossos. É uma das opções recomendadas por nutricionistas para pessoas que desejam consumir uma fonte de proteína vegetal, a fim de diversificar a dieta ou que não consomem produtos de origem animal.

Vale reforçar que a proteína da ervilha não deve ter adição açúcar (algumas marcas introduzem), e ainda, se houver a presença de proteína de arroz, o preparo fornece os aminoácidos necessários para o consumo. A título de informação, uma porção fornece 24 gramas de proteína, 4,5 de BCAA e vitamina B12.

Outra informação importante sobre o produto, é que apresenta boa digestibilidade, diferente de outras proteínas vegetais. Algumas pesquisas científicas apontaram que a ervilha alcança 94% de absorção no organismo, sem contar que a proteína isolada contém 24% do aminoácido.

Aplicação de ervilha em produtos industrializados

O uso da ervilha em produtos industrializados aumentou exponencialmente com a diversidade de opções de alimentos processados à base de plantas (Plant Based).

Anteriormente, o produto na forma de proteína isolada era associado aos suplementos alimentares para veganos e vegetarianos. Contudo, a procura por opções saudáveis para substituir a proteína animal, elevou a popularidade da leguminosa.

Além disso, a textura da ervilha após o processamento é muito parecida com a carne, quando é hidratada. Outro ponto que levou ao aumento no consumo é o preço dos produtos fabricados a partir da matéria-prima.

Para se ter uma ideia do crescimento, a produção de lavouras de ervilhas cresceu em pelo menos 20% nos Estados Unidos e no Canadá. Entre os produtos industrializados que utilizam a ervilha estão: hambúrgueres, almôndegas e nuggets.

Curiosidades sobre o uso da ervilha

As pesquisas envolvendo o uso da ervilha apresentam diferentes enfoques, contudo, um dos mais relevantes é de que o resultado semelhante à proteína animal é decorrente dos lipídios presentes no grão. Desse modo, foi verificado que a matéria-prima apresenta bons resultados em embutidos como salsicha e mortadelas.

No caso das ervilhas verdes, os grãos são colhidos antes da hora, pois se tornam duras e desagradáveis para consumo. Lembrando que ervilhas cruas ou congeladas têm características nutricionais superiores aos modos enlatados, empacotados ou em conserva.

As indústrias alimentícias estão desenvolvendo produtos não convencionais, a partir das ervilhas e devem chegar no território nacional, para satisfação dos consumidores: snacks e produtos a partir de panificação e confeitaria.

Outra curiosidade interessante são as flores de ervilha que podem compor um lugar de destaque no paisagismo. Plantadas em ramos amarrados, combina com alecrim e sálvia.

Produtos derivados da ervilha

As opções de alimentos produzidos à base de ervilhas aumentam de acordo com a popularização e aceitação do produto. Um deles é o ovo, produzido a partir da leguminosa e que precisa ser diluído em água, para ser empregado em diferentes preparos.

Outra opção mais conhecida, é a ervilha verde congelada, comercializada em embalagens de 250g ou 500g. Apesar do senso comum defender que alimentos vegetais são mais nutritivos, a opção congelada preserva os índices nutricionais. Por isso, uma dica é optar por grãos com coloração mais forte e textura uniforme.

A farinha de ervilha é outra opção importante para a indústria alimentícia. O processamento da leguminosa oferece várias opções de produtos fabricados no setor de panificação, entre eles, pães, biscoitos e salgadinhos.

Faça download do nosso
catálogo

Com mais de 30 anos de atividade, mantendo o compromisso de disponibilizar grãos e cereais para o setor de panificação. Desde o início, o objetivo principal foi fomentar o mercado de farinhas caseiras, naturais e integrais, por intermédio da parceria com agricultores especializados na produção de centeio, triticale, trigo, aveia, cevada e linhaça marrom.

Atenta às demandas da indústria de alimentos, a empresa avaliou os benefícios da linhaça na alimentação humana, que contribuíram como incentivo para uma série de pesquisas em parceria com universidades e profissionais de nutrição.

A união dos esforços no desenvolvimento e produção industrial da semente resultou no lançamento da linha Lino Live, pioneira na comercialização de produtos como farinha integral, grãos e óleo de linhaça.

CISBRA

O elo entre o campo e a indústria

A missão e os valores da CISBRA são pautados em uma história que começou em 1977, na cidade de Ijuí (Noroeste do Rio Grande do Sul), pela família Thomas. Em razão da aptidão agrícola do município, o grupo familiar decidiu investir na comercialização dos cereais que eram cultivados na região.

Depois de quase duas décadas de comércio varejista, chegou o momento de mudança no modelo de negócios. Em 1992 foi criada a Comercial Importadora Sul Brasileira LTDA (CISBRA).

O novo empreendimento manteve o foco no desenvolvimento local e iniciou a venda de matérias-primas utilizadas na produção de farinhas e pães. Passaram a adquirir produtos como centeio, triticale, trigo, aveia, cevada e linhaça marrom, produzidos por agricultores residentes nas imediações de Ijuí.

Com o crescimento da demanda pelos grãos de linhaça, na época utilizada principalmente na alimentação animal, a CISBRA deu início ao beneficiamento e comercialização da linhaça marrom em grãos e farinha. O produto chamado Raça Lux é um suplemento alimentar ofertado para equinos, com destaque para os cavalos de competição e enduros.

A trajetória da empresa foi pautada em reunir os cultivares da região e transformá-los em produtos alimentícios destinados aos animais e humanos. Por isso, em meados da década de 2000 surge a linha Lino Live, pioneira na produção de farinha integral de linhaça, grãos e óleo de linhaça destinados à alimentação humana.

Entretanto, para alcançar a qualidade dos produtos comercializados na atualidade, foram necessários estudos e pesquisas, realizados em parceria com universidades e especialistas em nutrição. Na mesma época, a CISBRA firmou uma parceria com agricultores da região para a introdução da primeira lavoura de linhaça dourada.

Atenta a essa condição, a CISBRA continua a firmar parcerias e investir em ciência e tecnologia para que o cultivo da semente seja ampliado no território nacional. A empresa iniciou em 2020 dois projetos de pesquisa em parceria com a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

A primeira iniciativa tem objetivo de desenvolver estratégias de manejo para a cultura de linhaça. Com transferência de tecnologia e boas práticas ambientais, será possível maximizar a produtividade e a qualidade dos grãos utilizados no setor industrial.

Tão importante quanto aprimorar o manejo é investir no melhoramento genético dos grãos, por isso, o segundo projeto agronômico que a CISBRA participa está focado na seleção e caracterização de genótipos de alta qualidade para a linhaça.

Desse modo, a CISBRA mantém a missão de produzir matérias-primas de alta qualidade para a indústria de alimentação. Promovendo o intercâmbio entre as diversas etapas da cadeia produtiva, a empresa demonstra que é possível produzir alimentos com certificação de origem e adaptados ao clima nacional.

Gostou do produto?

Solicite um orçamento abaixo!

Envie seu currículo

Vaga para
Unidade*
Nome*
Email*
Anexe o seu currículo
Maximum file size: 10 MB
Forneço meu consentimento para receber comunicações e, estou ciente que, posso revogá-lo a qualquer momento através do "Canal de comunicação LGPD".
Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com a Política de Cookies.